Suíte para Oboé e Sax (Dantas, Victor Vitoriano)

Contents

Performances

Recordings

MP3 file (audio)
Victortubi (2018/7/2)

Performers unspecified
Publisher Info. Victor Vitoriano Dantas, 2014.
Copyright
Purchase
Javascript is required for this feature.

Sheet Music

Scores

PDF typeset by composer
Victortubi (2018/7/2)

Publisher. Info. Victor Vitoriano Dantas, 2013.
Copyright
Purchase
Javascript is required for this feature.

Javascript is required to submit files.

General Information

Work Title Suíte para Oboé e Sax
Alternative. Title Duo Sax e Oboé
Composer Dantas, Victor Vitoriano
I-Catalogue NumberI-Cat. No. IVD 1
Key C major
Movements/SectionsMov'ts/Sec's 4 movements (score only shows 3?)
Year/Date of CompositionY/D of Comp. 2013
First Publication. 2013
Average DurationAvg. Duration 15 minutes
Composer Time PeriodComp. Period Modern
Piece Style Modern
Instrumentation oboe, saxophone (1 player, uses soprano, alto, and tenor saxophones)
External Links https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25321

Misc. Comments

A Suíte para Oboé, Sax Tenor, Sax Alto e Sax Soprano foi composta utilizando-se as técnicas do Sistema Schillinger de Composição Musical, auxiliada pelo Software Pd-Syncker. Esta obra no seu total é uma linha descendente em termos de densidade. Os estilos composicionais dos três movimentos foram escolhidos propositalmente para acentuar essa linha descendente. Seu início tem um prelúdio no qual ocorre uma falsa estabilidade, a instrumentação está poucas vezes unida, assim acentuando um ápice que começa mórbido tornando-se vivo. Na busca pela estabilidade, o segundo movimento, uma invenção, tem na sua imitação uma tentativa de chegar ao objetivo almejado. Se antes os instrumentos tocavam poucas vezes juntos, agora se repetem tentando chegar a um consenso. Depois de uma cadência bem definida da invenção, tem-se no poema a tão almejada estabilidade, no seu início um pouco instável, mas com um caráter de paz. Sua forma bem definida tem como fonte a estrutura do poema da literatura de cordel, em que se pode perceber a seguinte estrutura: (1) estrofe contrastante; (2) estrofe de rima; (3) estrofe contrastante e (4) estrofe de rima. O poema obedece estritamente a esse esquema. Suas frases são estruturadas em frases contrastes e em frases-rima. Sua forma mostra-se